Afundamentos artificiais

Afundamentos artificiais

Desde sua criação, o Parque dos Naufrágios Artificiais de Pernambuco, o PNAD, vem trazendo resultados fantásticos para o ecossistema. Os recifes artificiais criados pelo projeto são laboratórios de pesquisa de biólogos e oceonógrafos da Universidade Federal Rural de Pernambuco.


A Wilson Sons é parceira deste projeto desde seu início com o afundamento, em 2002, dos rebocadores Servemar X, Minuano e Lupos, que não estavam mais em operação e seriam vendidos como sucata.
 
Com a doação das embarcações, o grupo fez parte dos primeiros naufrágios induzidos do país de forma totalmente legalizada e com fins científicos. Hoje são 12 os rebocadores afundados no litoral pernambucano.
 
As embarcações são levadas para os locais determinados pela Marinha do Brasil e descem para o fundo do mar onde ficam definitivamente e se tornam autênticos viveiros de reprodução da fauna submarina. Atualmente, os corais criados a partir dos afundamentos abrigam mais de 90 espécies.